Close

A Empresa Automática

Por que uma empresa automatica?

A tecnologia tem crescido de forma exponencial nas últimas décadas e a oferta de soluções e serviços de base tecnológica praticamente acompanharam esse crescimento. O crescimento foi tanto que muitas coisas estão sendo realmente subutilizadas ou até mesmo tendo seu potencial de uso inimaginável no futuro, por exemplo, Blockchain e Inteligência Artificial.

Por outro lado, o comportamento humano tem sido uma constante e não tem acompanhado esse crescimento exponencial da tecnologia. Acredito que estamos no momento de ver o cruzamento dessas duas marés, o exponencial versus o linear. O resultado será um ponto de ruptura: a tecnologia está tão presente que se tornou praticamente invisível no dia a dia e por isso estamos vivendo um momento que vai permitir um novo salto para a raça humana.

Há milhares de anos a agricultura revolucionou automatizando a produção de alimentos e consequentemente também a nossa forma de viver. Não ter que passar o dia inteiro caçando e coletando alimentos, permitiu que nós pudéssemos gastar esse mesmo tempo aprendendo e desenvolvendo coisas novas, nos tornando médicos, engenheiros, programadores e até astronautas… Porém, o tempo é um recurso escasso e limitado – é por isso que ele é o produto mais valioso do mundo!

Esse momento de ruptura vai permitir que nós pudéssemos cada vez mais explorar o melhor que a vida tem para oferecer, e isso consequentemente vai nos levar para um novo patamar, em todos os sentidos.

O futuro já chegou, mas não para todo mundo ao mesmo tempo

Só para ilustrar tudo isso, em 2015 a Adidas revelou que está construindo uma fábrica inteligente na Alemanha, que será 100% automatizada, usando robôs e impressoras 3D. O inicio do funcionamento será no meio de 2017 e espera produzir 500 mil pares de tênis por ano. No lado contrário, outros exemplos são a Automattic (criadora do WordPress) que conta com 100% dos funcionários trabalhando remotamente espalhados em 50 países e até a tradicional Whirpool (dona das marcas Brastemp, Consul e KitchenAid) adotou na America Latina a pratica do Home Office. Cada vez mais a tecnologia vai propiciar que tarefas mais complexas sejam executadas por robôs (físicos e digitais) e profissionais sob demanda.

Deixaremos cada vez mais de viver a vida das empresas, do horário comercial e das tarefas desnecessárias. Esse novo patamar vai tornar qualquer empresa em uma empresa de tecnologia, permitindo que uma parte cada vez maior das pessoas tenham a liberdade de trabalhar em qualquer lugar, mantendo as relações humanas ao mesmo tempo em que o trabalho se torna o próprio estilo de vida – a automação será a nova agricultura!

 

Execução Distribuída

Nos últimos anos venho realizando um estudo sobre o futuro do trabalho, não com uma visão futurista, mas com foco nas dinâmicas que envolvem a tecnologia, as pessoas e o mercado, e qual o impacto disso na execução, produtividade e colaboração de modo geral.

Coloquei como missão trazer tudo isso de forma prática e aplicável, então baseado nesse estudo desenvolvi uma metodologia de Automação de Negócios que chamo de “Execução Distribuída”.  Essa é a introdução explicando o funcionamento dessa metodologia; quais são os benefícios, as barreiras e como você pode aplicar no seu negócio e se transformar numa empresa automática!

Basicamente é um método que envolve mudança de Mindset, uso de novas práticas e tecnologias disponíveis. Nesse artigo darei somente uma introdução e nos próximos destrinchar melhor em forma de  cascata e importância, sempre respondendo as dúvidas e feedbacks que receber, então deixe as suas dúvidas e experiências nos comentários.

Execução Distribuída

Alguns Benefícios

  • Redução de Custos e Aumento da Eficiência
  • Independência Operacional e Remoção do Fator “EU”
  • Aumento de Valor de Mercado da Empresa
  • Força de Trabalho Escalável
  • Foco no “Core Business”
  • Automação dos Processos
  • Redução de Erros Humanos

 

Público-Alvo

  • CEO / CIO / CTO
  • Empreendedores (Alguns mercados são mais fáceis do que outros e dependendo do segmento e do modelo de negócio pode atender desde uma Startup até uma empresa de grande porte)
  • Trabalhadores (workers)
    • Intraempreendedores
    • Trabalhadores Sob Demanda (quem pretende trabalhar de casa)
    • Desenvolvedores

 

O Ciclo de Execução

O ciclo de execução numa operação é dividido em três etapas e visa melhorar a gestão e o desempenho de forma contínua.

Etapas

Planejar

Nessa etapa acontece o levantamento do contexto atual da empresa, suas metas e objetivos e a definição do seu Propósito Organizacional.

Após esse levantamento inicial, também são criados os canais/departamentos*, e seus processos e tarefas relacionadas.

[*] O nome canal é usado nesse caso porque o fluxo de comunicação das tarefas e processos é relacionado ao departamento.

 

Executar

Na execução os processos são divididos em tarefas e essas tarefas são realizadas pelo melhor player disponível naquele momento. Isso é feito usando como base o Currículo Funcional de cada player (nada mais é do que um resumo acionável com as habilidades de cada um), esse colaborador pode ser um funcionário interno, um trabalhador sob-demanda ou até um Robô (que atendem tarefas especificas, falarei mais desses tipos nos próximos conteúdos).

 

Melhorar

Nesta etapa os objetivos e metas são confrontados com os números atuais por meio de relatórios e um Dashboard (diversos aplicativos online podem fazer esse trabalho). De acordo com cada modelo de negócio são criados prazos para a realização dessa tarefa, e também outras coisas como gargalos nos processos e outros tipos de ineficiências. Com isso realizado se volta a etapa inicial de Planejamento e as melhoras são incrementadas de forma contínuas.

 

Os 5 Pilares

O método abrange cinco pilares fundamentais de uma operação com foco no aumento da independência operacional e uma melhor execução.

  • Informação
    • Bases de dados
    • Documentos
    • Formulários
    • Dados inteligentes (Big Data*)
  • Comunicação
    • Mensagens diretas
    • Mensagens por canal/departamento
    • Notificações centralizadas do fluxo de trabalho
  • Processos
    • Automação contínua
    • Potencializar e fragmentar tarefas para os melhores players
    • Padronização
  • Players
    • Pessoas internas: Funcionários diretos (IntraEmpreendedorismo)
    • Pessoas externas: Trabalhadores sob demanda
    • Robôs: atendem tarefas específicas (Desenvolvedores e Parceiros)
  • Conexões
    • Negócios (Parcerias) e Tecnologia (APIs)
    • Entrada e Saída

 

Automate Score

Automate Score

É o índice que mede qual é o grau de automação e independência operacional da sua empresa. Esse índice (vai de 1 á 10) leva em consideração diversos pontos-chaves; desde o Fator “EU”, fluxo de trabalho, necessidade de presença física e até o seu modelo de negócio!

A independência operacional tem um papel importantíssimo, aliás, ela impacta diretamente no valuation do seu negócio (para quem pensa em vender o seu negócio é muito interessante trabalhar esse ponto). Além disso, ela trás indiretamente redução de custos e ganho de produtividade.

Um homem é rico na proporção do número de coisas que ele consegue fazer que funcionem sozinhas. — Henry David Thoreau

No caso do Brasil, esses são alguns problemas enfrentados nas empresas hoje: um deles é a crise global de falta de mão de obra, que apesar de não estar muito clara no radar dos gestores, já começou e nos próximos 15 anos o Brasil vai ser o país mais afetado por ela no mundo, com um negativo de -33% de acordo com Rainer Strack do Boston Consulting Group. Outro problema é a alta carga tributária e passivos trabalhistas, por exemplo, você tem um funcionário, paga por dois (ou três rs) e se esse funcionário faltar você não tem nenhum;  isso prejudica o seu fluxo de trabalho e seus processos são interrompidos. Sem contar a ineficiência de execução dos processos e a baixa produtividade do brasileiro de uma maneira geral.

É claro que existem algumas regulamentações e limitações nos contratos de trabalhos por aqui, mas existe muito espaço para melhorar e aperfeiçoar sua independência operacional.

 

Algumas Perguntas Para Pensar e Melhorar seu Automate Score:

  • Quanto do seu negócio depende de presença física?
  • Qual é o grau de independência dos seus processos?
  • Quais processos podem ser automatizados?
  • Que processos ou tarefas podem ser excluídos?
  • Que tarefas podem ser fragmentadas e distribuídas?
  • Que tarefas podem ser feitas por robôs?

 

Por Hoje é Só Pessoal! Espero que tenha gostado e estou aguardando suas dúvidas, críticas e sugestões nos comentários abaixo.

Grande Abraço!